Correio de Coimbra

Jornal informativo da Diocese de Coimbra. Assine e divulgue o nosso semanário. 239 718 167. fax: 239 701 798. correiodecoimbra@mail.telepac.pt

A minha fotografia
Nome:
Localização: Coimbra, Portugal

2 de outubro de 2007

HUC comemoraram o dia do seu padroeiro, S. Jerónimo com protestos dos enfermeiros


Os Hospitais da Universidade de Coimbra comemoraram no dia 1 de Outubro, o dia do seu padroeiro – S. Jerónimo, com protestos dos enfermeiros. Nada fazia prever, a recepção "calorosa" que Correia de Campos teve por parte dos sindicatos dos enfermeiros. O ministro foi confrontado com um pedido de esclarecimentos sobre despedimentos no sector. Os enfermeiros acusaram Correia de Campos de "faltar a verdade". Aos jornalistas, nem uma palavra sobre o incidente…
Para além desta manifestação, a efemeridade foi assinalada com a celebração eucarística, na capela dos HUC, presidida pelo Bispo de Coimbra. D. Albino Cleto e concelebrada pelo actual capelão Alberto Lopes Gil e o seu sucessor Padre Pedro Manuel Quintas. Sobre a regulamentação da assistência religiosa também não foi dita nenhuma palavra, quer do bispo, quer do ministro… era de prever.
Segundo o semanário "Sol", o primeiro-ministro fez chegar uma mensagem à Conferência Episcopal, dizendo que o dossiê da assistência religiosa nos hospitais passou a ser da responsabilidade do seu gabinete. E porquê? Porque Sócrates não quer conflitos com a Igreja…
Segundo o mesmo jornal, o primeiro-ministro ficou surpreendido com as críticas feitas pelos bispos à proposta de regulamentação da assistência religiosa, sobretudo porque, dias antes dessa proposta ter sido enviada aos bispos, Sócrates recebera alguns representantes da Conferência Episcopal e prometera-lhes o maior consenso nessa matéria. Com esse "puxão de orelhas", o ministro da Saúde não quis ser confrontado pelos jornalistas
O titular da pasta da Saúde aproveitou também a ocasião para visitar alguns serviços com investimentos financiados pelo Programa Operacional Saúde – Saúde XXI. Hora e meia mais tarde, deu-se a sessão solene no auditório dos HUC, onde tomaram posse, os membros do Conselho de Administração, presidida pelo Professor Fernando Regateiro.
Para além dos discursos de Fernando Regateiro e de Correia de Campos, foi entregue medalhas a funcionários que completaram 25 anos de serviço da instituição.
Fernando Regateiro, no seu primeiro discurso oficial como presidente do Conselho de Administração dos HUC pretende preparar a instituição para servir "como hospital de futuro". O simples objectivo, um pouco à semelhança de Santo Agostinho é "servir cada vez melhor os doentes que recorrem a este hospital". Para isso, está empenhado em apostar na "qualidade e na inovação". Essa mudança, implica outro modelo de gestão que vai ser a passagem do hospital para EPE, de forma a "ganhar-se mais agilidade, eficácia e eficiência, sem contudo, comprometer a qualidade dos cuidados de saúde prestados, como hospital central e universitário".
Correia de Campos corroborou das palavras de Fernando Regateiro, "Os HUC vão sofrer uma transformação muito importante, vão deixar de depender unicamente do Ministério da Saúde, para virem a depender também do Ministério das Finanças – impõem-se, de facto, uma nova modalidade de gestão que é um desafio técnico, recomendado pela União Europeia". "O modelo anterior era insustentável, o objectivo é diminuir as despesas públicas na área da saúde", disse o ministro. Segundo o governante, "a transformação dos HUC em EPE vai exigir mais responsabilidade e mais qualidade"…



Ministro da Saúde em confronto com enfermeiros
O ministro da Saúde foi recebido, nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), por duas comitivas sindicais e um movimento de utentes.
Correia de Campos participou na celebrações do Dia de S. Jerónimo, padroeiro dos HUC, tendo sido abordado, antes da sessão solene, por responsáveis do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro (STFP-C) e Movimento Utentes pelos HUC.
"O despedimento de enfermeiros contratados, ao ser concretizado, aprofunda as dificuldades de acesso de milhares de utentes a cuidados de saúde, na quantidade e na qualidade necessárias", sustenta o SEP no texto em que critica o Decreto-Lei nº 276-A/2007.
Para o SEP, este diploma "veio agudizar ainda mais as situações de instabilidade e precariedade laboral existentes" entre estes profissionais.
"O ministro disse que ninguém ia ser despedido com a nova legislação, mas hoje estão aqui dez enfermeiros do Hospital do Lorvão e do Sobral Cid que foram despedidos", salientou o dirigente do SEP, Paulo Anacleto.
O dirigente considerou ainda que a atitude de Correia de Campos, "ao não querer responder, foi inadmissível". À entrada para o auditório dos HUC, o SEP estendeu perante o governante uma faixa em que se lia: "Enfermeiros/Emprego Precário = Exclusão Social".
Antes, o ministro da Saúde recebera também uma "carta aberta" do STFP-C em que é frisado que "não há trabalhadores a mais no SNS".
"Como é possível acreditar que os serviços de saúde podem dar resposta aos utentes do Serviço
Nacional de Saúde quando o Governo considera que bastará com um rácio máximo de 25 por cento de pessoal de suporte – pessoal inserido nos grupos administrativo, operário e auxiliar – e quer colocar em 2008 25 por cento dos actuais efectivos na mobilidade?", questiona o STFP-C.
Já o Movimento Utentes pelos HUC entregou a Correia de Campos uma exposição em que questiona o ministro sobre o possível encerramento de serviços no estabelecimento, no âmbito do processo de passagem a Entidade Pública Empresarial (EPE), e manifesta preocupação com a "asfixia financeira" da unidade.

Amigos da Irmã Lúcia promovem concerto de solidariedade


No âmbito das comemorações do Centenário da Irmã Lúcia e dos 90 anos das Aparições de Nossa Senhora em Fátima, os promotores e Amigos Anónimos da Irmã Lúcia, vão promover um concerto no dia 13 de Outubro, pelas 21 horas no auditório da Casa Municipal da Cultura
Os bilhetes poderão se adquiridos na Casa da Cultura (Rua Pedro Monteiro), na Junta de Freguesia da Sé Nova (Junto aos Arcos do Jardim), na Livraria "Cultura e Fé" (Couraça de Lisboa) e no Memorial "Irmã Lúcia" (Edifício do Carmelo.
O produto da venda dos bilhetes reverterá a favor da amortização das dívidas contraídas pela construção do memorial "Irmã Lúcia".

Meninos gordos no Museu Antropológico


Encontra-se patente até 14 de Dezembro, no Museu Antropológico da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), a exposição "Meninos Gordos: contar uma história através da faiança".
Meninos Gordos conta a história de um menino e uma menina do século XIX que eram mais altos e gordos do que o resto das crianças. Por serem diferentes, tornaram-se alvo da curiosidade e assombro de reis, príncipes e populações, que os admiraram nalgumas importantes cidades europeias.
A exposição conta com obras de mestres ceramistas que na época retrataram as crianças em coloridas peças de faiança (pratos, canecas e paliteiros). A iniciativa centra-se numa reflexão histórica, social e cultural sobre o universo das duas crianças e numa abordagem pedagógica e sensível.
Ligado a este evento surge um Ciclo de Conferências destinado ao público em geral. Para o público infanto-juvenil, do primeiro ciclo de escolaridade, a visita à exposição é complementada por um atelier de expressão plástica.
Da organização da exposição fazem parte o Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo dos Hospitais da Universidade de Coimbra, o Museu de Alberto Sampaio (Guimarães), o Museu de Olaria (Barcelos) e o Museu d’Arte (Esposende).
A exposição vai estar até 14 de Dezembro na sala de exposições do Museu Antropológico da FCTUC.

Os sem-abrigo vão ser alvos de um encontro de reflexão




Estão abertas as inscrições para o Encontro/Reflexão sobre os Sem-Abrigo que irá decorrer em Coimbra no próximo dia 12 de Outubro.
A iniciativa da realização deste encontro partiu da Casa Abrigo Padre Américo e realizar-se-á no auditório da Ordem Terceira de S. Francisco, na Rua da Sofia, 114.
Na parte da manhã, serão oradores o Professor Dr. Joaquim Armando Ferreira, a Mestra Sónia Nogueira (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação) e a Drª. Mónica Lopes (Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia).
À tarde, terá lugar uma sessão sobre Boas Práticas de Intervenção, na qual serão intervenientes técnicos das várias Instituições da cidade que se dedicam à problemática dos Sem-Abrigo, sendo moderada a Drª Irene Ferreira (Centro Distrital de Segurança Social).
Para finalizar, haverá um tempo de música – recital de piano pelo Drº José Manuel Rolim e ainda uma surpresa.
As inscrições para este Encontro/Reflexão poderão ser efectuadas na Secretaria da Ordem Terceira de S. Francisco, entre às 09H e as 12H30 e 14H e as 17H até ao dia 8 do corrente
mês.

Miguel Cotrim

Santuário de Fátima




Nova igreja custará 80 milhões de euros



Ao fim de três décadas a comandar os destinos do Santuário de Fátima, monsenhor Luciano Guerra, o reitor, deixa uma marca pessoal no recinto com a obra da Igreja da Santíssima Trindade. A inauguração do templo está marcada para o próximo dia 12 de Outubro e integra-se nas comemorações dos 90 anos sobre a última das aparições que se acredita que Nossa Senhora fez perante os pastorinhos. Será consagrado pelo cardeal Tarcísio Bertone, actual secretário de Estado do Vaticano, na qualidade de legado pontifício enviado pelo Papa Bento XVI.
Vai custar o dobro do que chegou a ser previsto. "Deve ir aos 70 ou 80 milhões", segundo o reitor, numas contas ainda por fechar. "Espero um dia publicá-las", afirmou no passado dia 25 de Setembro numa visita concedida aos jornalistas. "Tudo é pago com dinheiro que os peregrinos ofereceram a Nossa Senhora", enfatiza Monsenhor Luciano Guerra, afirmando-se convencido de que "uns 80% dos peregrinos concordam com a obra".
À vista desarmada, parece tudo muito atrasado, mas a entrega da chave está prevista para terça-feira, dia 9 de Outubro. Ao longo de quase três anos que demorou a edificar, a igreja foi a maior obra de construção civil que se realizou no País, segundo os responsáveis da empresa construtora a Somague Engenharia,SA.O projecto é do arquitecto grego Alenxandrus Tombazis que idealizou um espaço de comunhão para nove mil crentes sentados; um recinto fechado, iluminado exclusivamente com luz natural projectada a partir da cobertura através de uma espécie de sancas que coam os raios e criam uma atmosfera propícia à meditação e joga com as obras de arte que constituem a iconografia.
É o caso do painel de cerâmica dourada com 500 metros quadrados colocado na parede atrás do altar. Um retábulo para concentrar as atenções dos fiéis e tem à frente, em primeiro plano, um Cristo monumental.
O arquitecto realça a orientação dada à entrada principal da igreja feito de modo a deixá-la em linha recta com a actual basílica. Essa que, segundo o reitor, "fica para celebração em honra dos pastorinhos".


Miguel Cotrim

Nas Jornadas das Comunicações Sociais


Igreja exige aos jornalistas um olhar cristão sobre a realidade


A necessidade para um olhar cristão sobre a realidade marcou a conclusão dos trabalhos das Jornadas Nacionais das Comunicações Sociais que decorreram em Fátima, de 27 a 28 de Setembro.
Na conferência final, D. Manuel Clemente defendeu que a comunicação social católica deve preferir "competência à emoção e o aprofundamento à precipitação", não vendendo "nada nem ninguém", mesmo sob a pressão das "audiências".
Falando de "Um olhar de Igreja sobre a realidade", o Bispo do Porto indicou que, em várias situações, a liberdade religiosa ainda não está completamente assegurada, sendo muitas vezes confinada a um "âmbito individual".
Evitando polémicas directas com o governo, D. Manuel Clemente deixou um desafio aos participantes – "imaginemos que numa determinada sociedade" – passando a criticar situações em que a transmissão do legado religioso nas escolas é relegada para horários pouco viáveis ou em que ensino não-estatal tenha de ser pago por inteiro pelos pais.
Nestas referências indirectas não foi esquecido o caso do acompanhamento religioso e prisional ser reduzido a quem o pede, "excluindo qualquer espécie de proposta ou oferta que suscitasse tal pedido", ou a secundarização, no campo da ajuda ao próximo, de iniciativas confessionais.
"A comunicação social que se queira cristã e humanista deve estar atenta, esclarecer e eventualmente denunciar, no sentido de efectivar a liberdade religiosa para todos e cada um, como direito fundamental a ser considerado por práticas sociais e públicas correspondentes", indicou.
O presidente da Comissão Episcopal responsável pelo campo das Comunicações Sociais manifestou-se contra "qualquer teorização puramente formal ou ideológica que encare a sociedade, mesmo a sociedade política, como um aglomerado de entidades individuais abstractas".
A laicidade, defendeu, "não se garante pela abstracção das crenças e motivações dos cidadãos e grupos de cidadãos", mas "pela potenciação das respectivas partilhas", no espaço público e garantindo os direitos das minorias.
Perante uma sociedade com "muita falta de esperança", a comunicação social cristã não deve desistir "da política nem da cultura", evitando "fazer-se eco de pessimismos ou decepções sistemáticas em tal campo".
A Igreja, por isso, tem um olhar sobre a realidade que quer ser "contemplativo, activo e activador", que "soma muitos olhares e unifica perspectivas" e se refere "à pessoa humana e à sua realização pessoal e social".
Texto: CC/Ecclesia/Fotos: Miguel Cotrim

Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar em Outubro


De 19 a 21 de Outubro, em Fátima (Centro Pastoral Paulo VI), realizar-se-ão as Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar, este ano com o tema geral "Identidade e valores da família numa sociedade global". Promovidas pela Comissão Episcopal do Laicado e Família, através do seu Departamento Nacional da Pastoral Familiar, têm por objectivo proporcionar uma ocasião de reflexão, análise e aprofundamento sobre as principais questões da Família no momento actual.
A abordagem ao tema específico das Jornadas será feita através de um painel, em que serão postas frente a frente duas realidades do quotidiano que se confrontam: - a perspectiva sociológica de uma sociedade com uma cultura em rápida e forte evolução, marcada por fenómenos de globalização e de integração, em busca do seu próprio caminho; - a dimensão religiosa e da Fé, base de uma antropologia da família cristã, como condição de uma felicidade mais profunda e mais verdadeira.
Constituirão este painel Manuel Nazareth, na área da sociologia, – Universidade Nova de Lisboa, e o Pe. Jorge Teixeira da Cunha no âmbito da antropologia cristã – Faculdade de Teologia da Universidade Católica do Porto. Integrará ainda este painel, como animadora e reflexo das inquietações actuais que a todos nos rodeiam, a jornalista Isabel Stilwell.

Segue-se o aprofundamento e debate de aspectos concretos destas realidades, em workshops dinamizados por especialistas de reconhecido interesse e competência.
De destacar ainda os dois temas a abordar, que pela sua originalidade e dinâmica pretendem ajudar a compreender e a viver os valores da família cristã numa sociedade global: "Família: felicidade e esperança na sociedade de hoje" por Fátima Perloiro e "Numa Europa global, a felicidade humana é preocupação de Deus" por Teresa Ribeiro.

Programa
Dia 19 de Outubro
21H30 – Conversas de café (Centro Pastoral Paulo VI)
22H45 – Oração da noite (após o que será servido um "chá")
Dia 20 de Outubro
09H00 – Oração da manhã
- Intervenção do Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família
- Apresentação dos participantes
10H30 – Intervalo
11H00 – Frente-a-Frente – "Identidade e valores da família na sociedade global"
- Padre Prof. Jorge Teixeira da Cunha
- Prof. Manuel Pantoja Nazareth
- Animadora do Painel – Isabel Stilwell *
Diálogo
13H00 – Almoço
14H30 – Encruzilhadas temáticas
"O desafio da Educação" – Prof. João Carlos Espada *
"Família e Comunicação e a Comunicação perante a família" – Dr. Luís Alvito
"A Influência da Internet" – Dr. Nuno Fórneas
"Trabalho, profissão e vida familiar (mobilidade, sucesso, …)" – Prof. João César das Neves
"A Intervenção política da família" – Dr. António Pinto Leite
"A Problemática do princípio e do fim da vida" – Drª Isabel Galriça Neto *
"As dificuldades da Evangelização em contracultura" – Padre Peter Stilwell *
"Identidade da família" – Eng. Jorge Cotovio
18H00 – Visita e oração na nova Igreja da Santíssima Trindade
20H00 – Jantar
21H30 – "Família: felicidade e esperança na sociedade de hoje"
Dr.ª Fátima Perloiro

Dia 21 de Outubro
09H00 – Oração da manhã
09H30 – Breve Revisão das apresentações feitas nos workshops
10H00 – "Numa Europa global, a felicidade da família humana é preocupação de Deus"
Prof. Dr.ª Teresa Ribeiro
11H30 – Celebração Eucarística e envio dos participantes em missão.
13H00 – Almoço e partida

Inventariação da Paróquia de Pala

No dia 27 do passado mês de Setembro, ficou concluída a inventariação da paróquia de Pala, para a qual muito contribuiu a colaboração do pároco e das várias pessoas que, durante tardes seguidas, gentilmente se disponibilizaram para indicar a localização das muitas capelas, acompanhando qualquer das tarefas realizadas e prestando meritórias informações históricas.
Os bens patrimoniais existentes, quer na sede paroquial, quer nos lugares dispersos, registados em cento e dezassete fichas e abundantes fotografias, testemunham a presença de uma incontestável vivência cristã, logo imediata ao início da Nacionalidade, com particular destaque para os tempos de maior implementação do povoamento rural, perpetuado na toponímia de cariz agro-florestal, bem como nos casais mais recônditos, distantes e constituídos nos afastados meandros da serrania, onde melhores terrenos permitiam a habitual agricultura de sobrevivência.
Tão inacessíveis alguns se posicionam que, durante a demorada deslocação, veio ao pensamento a possibilidade de encontrar descendentes dos romano-visigodos, para lá refugiados aquando das invasões bárbaras, todavia, surgiram fartos bigodes, à maneira celtibera, respeitáveis e honrados, com a devida homenagem.
O panorama geral é bastante sugestivo, principalmente no âmbito das alfaias litúrgicas, significativamente referenciadas em peças de reconhecido realce, de refinada produção e de raras acentuações quanto às tipologias seguidas. As esculturas abarcam semelhante representatividade, no calcário, madeira e terracota. Os altares de talha seiscentista e setecentista comportam elucidativos programas decorativos, com recursos vegetalistas e geometrizantes, a enquadrarem concheados e demais componentes de agradável efeito, como que ajustados aos frondosos arvoredos dos campos envolventes.
A notória sensibilização da comunidade denota, já, o facto de haver um crescente cuidado para com estas venerandas memórias das práticas celebrativas, de outros séculos, e do incontestável respeito a prestar a tão eloquentes legados recebidos dos antepassados, agora considerados factores identificativos dos núcleos implantados nas cercanias da sede matriz e, no conjunto, fautores das acentuações assim materializadas num ou noutro local de culto.
Este sentimento está profundamente realçado, também, nos poucos centros a cujas celebrações litúrgicas se ligam romarias, secularmente concorridas e, por certo, explicitadas nos característicos ex-votos que, desde finais do século XVIII, recordam graças, miraculosamente obtidas por intercessão dos santos, invocados em angustiantes momentos de dor e circunstâncias de tremendas aflições.


José Eduardo Reis Coutinho

Paróquia de S. Martinho “desperta para a fé”

No passado dia 29 de Setembro, na paróquia de S. Martinho, realizou-se a acção preliminar do Curso de Formadores no Despertar da Fé, organizada pela equipa de coordenação da catequese desta paróquia.
A finalidade desta formação é preparar animadores pastorais, educadores e auxiliares de educação para formar, dinamizar e coordenar o despertar da fé dos 0 aos 6 anos junto das famílias, nas paróquias e nas instituições educativas.
A formação foi ministrada por uma equipa composta pela Dra. Maria João Athayde da Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich, pela Dr. Teresa Jardim da Fundação Maria Ulrich e a Dra Susana Matos e Irmã Maria José do Patriarcado de Lisboa.
Entre participantes estavam catequistas de diversas paróquias de Coimbra, consagrados, educadores de infância e pessoas com responsabilidades na educação.
A área do Despertar da Fé está a dar os primeiros passos em Portugal, sendo que tem sido o patriarcado de Lisboa a trabalhar mais nesta área.
A formação tem um total de 45 horas que vão ser distribuídas por 2 sábados no 1º trimestre de 2008, 2 sábados no 2º trimestre e finalmente um sábado em Setembro de 2008. Ao longo das diversas sessões abordaremos temos de áreas diferentes, como a pedagogia, antropologia, teologia, entre outros e que nos permitem saber mais sobre o Despertar da Espiritualidade na criança, o Despertar da Fé e o Despertar Religioso. No final das 45 horas os profissionais de educação que pretenderem podem ser sujeitos a avaliação e obter 3 créditos concedidos pela Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich.
O Despertar da Fé assume cada vez mais importância numa época em que o primeiro anúncio não é efectuado nas famílias cristãs.


Despertar
Ainda no sábado foi apresentada a pasta de apoio ao Despertar da Fé editada pela Nova Terra (editora do Patriarcado) e lançado o livro "Despertar Religioso" da Editora Paulinas.
Estas duas edições encontram-se à venda em www.nos.com.pt ou pelo telemóvel 918231353.

Numa iniciativa da Santa Casa da Misericórdia

Montemor celebrou Dia Internacional do Idoso


O dia das Pessoas Idosas, que se cumpre internacionalmente a 1 de Outubro, deu o mote para a realização de um conjunto alargado de actividades destinadas à população sénior do concelho de Montemor-o-Velho. A efeméride incluiu a celebração da Eucaristia em acção de graças, um almoço-convívio e animação popular com jogos tradicionais e um baile.



Mais de duas centenas de idosos do concelho, oriundos das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s) - Arazede, Carapinheira, Meãs, Santo Varão e Verride, e das Misericórdias de Tentúgal e Montemor (esta abrangendo as freguesias de Gatões, Liceia e Seixo) participaram na iniciativa "Pessoas Idosas – Uma nova força para o desenvolvimento", que se realizou dia 1 de Outubro, na Associação Cultural Desportiva e Recreativa e Social de Quinhendros, organizado pela Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Velho.
Concelebrada pelos padres Alberto da Conceição, José Luís Ferreira e Martinho de Sousa, o padre José Carraco, capelão da Misericórdia de Montemor, presidindo à Eucaristia, lembrou o ensinamento de Cristo "Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei" para referir que "as instituições de solidariedade social têm um ideal cristão baseado na unidade, solidariedade, partilha e amor ao próximo". "Também é de salientar e elogiar a dedicação e o profissionalismo com que os funcionários apoiam os idosos, nas suas múltiplas tarefas", disse o pároco de Montemor.
Felicitando-os pela sua vocação e espírito abnegado, o Padre José Carraco adiantou que "por vezes é preciso esquecer-se de si e da família para atender, durante 24 horas, quem precisa de vós", sublinhando que " sei que a sua vocação não é receber o ordenado ao fim do mês". "Toda a sociedade tem o dever de saber ser cristão e agir de acordo com os ensinamentos da Igreja", frisou.
No final da Eucaristia, os Padres José Luís (Carapinheira e Verride) e Martinho de Sousa (Meãs e Tentúgal) dirigiram-se aos idosos das respectivas IPSS’s, incentivando-os "a viverem a sua terceira idade em plenitude e doação, agradecendo as dádivas de Deus".
Manuel Carraco, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Montemor disse que "celebrar o dia internacional do idoso é respeitar as nossas raízes, é doar um pouco de nós àqueles que construíram o presente", salientando que "os mais idosos são os guardiães da memória colectiva, tutores dos relacionamentos entre as gerações e transmissores dos valores autênticos que definiram a sua existência". "O idoso é uma pessoa que tem dignidade, merece o nosso apoio, o nosso respeito e a nossa atenção, porque quanto melhor viverem os idosos melhor vive a sociedade que os rodeiam", referiu.
Segundo Manuel Carraco, "este encontro de idosos também pretende homenagear a idade das experiências vividas e da sabedoria, além de partilhar alegres momentos de convívio".
Além da Eucaristia, que teve a colaboração do diácono Lusitano Rainho a orientar e a animar o grupo coral, acompanhado musicalmente por "Frater João", este "Dia Internacional da Pessoa Idosa" contou com um almoço-convívio e animação com jogos tradicionais e baile popular.
Participaram nesta iniciativa os membros directivos das IPSS’s representadas e os vereadores da Câmara Municipal, Pedro Machado, António Saltão e Hernâni Rama.
De recordar que a Assembleia-Geral das Nações Unidas, designou o dia 1 de Outubro como o Dia Internacional das Pessoas Idosas, pela resolução 45/106, de 14 de Dezembro de 1990. A celebração anual desde 1991, do dia 1 de Outubro, tem como objectivo reconhecer os contributos dos cidadãos mais idosos para o desenvolvimento económico, promover uma sociedade para todas as idades, e chamar a atenção para as oportunidades e desafios que constitui o envelhecimento demográfico global.


(Texto e Fotos) Aldo Aveiro

Padre João Castelhano homenageado pela Orquestra Clássica do Centro



No âmbito das "Bodas de Ouro" Sacerdotais do Padre João Castelhano, vai realizar-se no próximo sábado, dia 6 de Outubro – data em que se completam 33 anos desde que assumiu a responsabilidade pela Paróquia – uma jornada festiva que culmina, pelas 21.30 horas, na Igreja de S. José, com um Concerto Prestígio de Homenagem pela Orquestra Clássica do Centro.
Ainda no sábado, durante a tarde, pelas 17 horas, será reaberta a Exposição dos 75 Anos da Paróquia de S. José, seguida da apresentação do livro "Paróquia Viva II". Ás 19 horas é celebrada a Eucaristia, e no final será descerrada, na Galeria dos Párocos, uma fotografia do Padre João Castelhano.
Foto: Miguel Cotrim