Correio de Coimbra

Jornal informativo da Diocese de Coimbra. Assine e divulgue o nosso semanário. 239 718 167. fax: 239 701 798. correiodecoimbra@mail.telepac.pt

A minha fotografia
Nome:
Localização: Coimbra, Portugal

17 de janeiro de 2008

Na Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos


Celebrações na Diocese de Coimbra


21 de Janeiro - 21 horas - Igreja Católica de Portomar (Mira)


22 de Janeiro - 21 horas - Igreja Presbiteriana (Alhadas)


23 de Janeiro - 21 horas - Igreja Católica (Arazede)


24 de Janeiro - 21 horas - Igreja Católica - Cova - Gala

Manuel Antunes opera Bispo de Vila Real

D. Joaquim Gonçalves, Bispo de Vila Real, foi submetido a um transplante cardíaco nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC). De acordo com Manuel Antunes, que chefiou a equipa médica, “o paciente tem tido uma recuperação dentro da normalidade” e deverá ficar internado duas semanas.

16 de janeiro de 2008


Jornadas de Teologia: uma reflexão sobre o papel dos leigos no presente e no futuro


As jornadas de teologia do ISET realizam-se, este ano, nos dias 15 e 16 de Fevereiro, no Auditório do Instituto Português da Juventude (IPJ). Como já foi noticiado, o tema de reflexão será o do papel dos leigos no futuro da Igreja. Os diversos temas, à excepção da síntese final, a cargo do senhor Bispo do Porto, serão apresentados por leigos empenhados nos mais diversos campos da actividade humana.
"Os leigos vão falar sobre si mesmos, sobre o seu papel na transmissão do Evangelho no mundo de hoje e no mundo de amanhã" – afirmou ao nosso jornal, o Padre Jesus Ramos, Director do ISET. O Concílio Vaticano II, que se realizou há mais de quarenta anos, "fez muitas afirmações sobre o papel activo do laicado, que só a muito custo começam a ser postas em prática" – acrescentou. De facto "estamos ainda, apesar de inegáveis avanços, a viver e a actuar numa Igreja marcada pelo clericalismo, onde o peso da hierarquia continua a ser preponderante sobre o laicado". E não nos devemos esquecer que "a missão de anunciar a boa nova a todos os povos e em todos os lugares foi dada por Cristo a todos os discípulos, a todos os fiéis baptizados, incluindo os leigos, como é óbvio".
Por todas estas razões, os organizadores das jornadas esperam a participação de muitos leigos, individualmente ou em grupos (paróquias, de movimentos ou outros). As inscrições devem ser feitas na secretaria do ISET (Tel. 239 792348 e e-mail: isetcoimbra@gmail.com), ou na redacção do "Correio de Coimbra" (Tel. 239 701785; e-mail: correiodecoimbra@mail.telepac.pt).
Miguel Cotrim

SEMANA DA UNIDADE DOS CRISTÃOS


"ORAI SEM CESSAR"


. Manuel Augusto Rodrigues


Celebra-se na próxima semana da unidade dos cristãos, de 18 a 25 de Janeiro, o primeiro centenário da sua criação. Foi, com efeito, em 1908 que Paul Wattson, padre anglicano e co-fundador da Fraternidade Franciscana da Reconciliação (Society of the Atonement) em Graymoor (Garrisson, Nova Iorque), inaugurou aquela iniciativa.
O texto bíblico escolhido para 2008 é extraído da 1.ª Epístola aos Tessalonicenses 5, 12a. 13b-18 em que Paulo pede aos cristãos desta comunidade: "orai sem cessar". O contexto diz assim: «Nós vos pedimos, irmãos: Vivei em paz entre vós. A isso vos exortamos, irmãos: corrigi aqueles que vivem de maneira desordenada, dai coragem aos que dela carecem, sustentai os fracos e que sejais pacientes para com todos. Cuidai para que ninguém retribua o mal com o mal, mas procurai sempre o bem entre vós e para com todos. Estai sempre alegres, orai sem cessar, dai graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus a vosso respeito, em Cristo Jesus».
Sabendo que a semente da desunião já está instalada na Igreja, Paulo fornece uma série de recomendações para que a paz seja recuperada: garantir a participação de todos e dar coragem aos que têm pouca; sustentar os fracos; ser paciente com todos; não pagar o mal com o mal, mas procurar sempre o bem, entre si e com todos; viver na alegria; orar sem cessar; dar graças em todas as circunstâncias. Termina com a afirmação de que agindo assim a comunidade vive segundo a vontade de Deus em Cristo Jesus.
O apelo a orar sem cessar faz parte desta lista de imperativos. Isto lembra-nos que a vida numa comunidade cristã só é possível através da vida de oração. Esta é parte integrante da vida dos fiéis, precisamente quando eles procuram manifestar a unidade que lhes é dada em Cristo. Trata-se de uma unidade que não se limita aos acordos doutrinais e às declarações oficiais, mas que se exprime em tudo o que contribui para a paz através de acções concretas que testemunham a unidade em Cristo e entre si e que a fazem crescer.
O ecumenismo espiritual deve ser uma preocupação do dia a dia dos cristãos. Não valem os esforços humanos sem a ajuda do Espírito Santo que a pode conceder como um dom. Leva a uma troca harmoniosa das dádivas espirituais concedidas por Deus que se completam entre si. Isto oferece-nos a possibilidade de ir além das nossas etiquetas confessionais, perseverando na direcção d’Aquele que é a origem de todo o bem. O que surpreende na oração é que a sua eficácia se verifica primeiro em nós mesmos. Ela modela a nossa mentalidade e o nosso coração quando procuramos traduzir na prática a prova verdadeira da sua autenticidade. O ecumenismo espiritual conduz-nos à purificação da memória histórica, encorajando-nos a enfrentar os graves acontecimentos do passado que geraram interpretações divergentes da sua própria natureza e origem. Podemos assim superar estas dificuldades que nos mantiveram na divisão. A finalidade do ecumenismo espiritual é a unidade dos cristãos que nos permite participar da missão para a glória de Deus.
Como se lê no texto preparatório: «Se os que crêem querem realmente seguir os passos de Jesus, eles devem trabalhar e orar para a unidade dos cristãos. Todavia, as Igreja têm visões diferentes da unidade visível pela qual nós oramos. Para alguns, a finalidade é alcançar uma unidade visível plena na qual as Igrejas seriam reunidas numa só comunidade de fé, oração, sacramentos e testemunho, onde as divisões seriam tomadas numa única comunidade e a vida estruturada segundo o mesmo modelo. Outros visam uma diversidade reconciliada na qual as Igrejas actuais trabalhariam juntas para oferecer ao mundo um testemunho coerente. Para outros, ainda, a unidade reside principalmente nos laços invisíveis que já nos unem ao Cristo e entre nós, e que depende muito da maneira pessoal de viver a sua fé no meio do mundo».
E ainda: «A oração pela unidade dos cristãos é, portanto, extremamente estimulante. É uma oração que provoca amadurecimento na nossa identidade pessoal, bem como na nossa identidade confessional. Em definitivo, isto significa renunciarmos à nossa visão de unidade para procurar melhor o que Deus quer para o seu povo. Todavia, isto não quer dizer que abandonaremos a nossa unicidade, pois a unidade exprime-se naturalmente na diversidade. A união na diversidade é ícone do mistério de comunhão amorosa que é a própria natureza do Deus Uno e Trino».
As reflexões propostas para a semana da unidade desenvolvem-se assim: no 1.º dia, é apresentada a unidade como dom e apelo endereçados à Igreja e pensa-se no que significa «orar sem cessar»; no 2.º dia, somos convidados a ter confiança em Deus e a dar-lhe graças quando trabalhamos e oramos pela unidade; no 3.º dia, a necessidade de uma conversão permanente do coração; no 4.º dia que se intitula «Orai sempre pela justiça» convidam-se os cristãos a ter coragem de orar sempre com o pensamento em Cristo: no 5.º dia, estar atentos aos diferentes ritmos e tempos dos nossos irmãos e irmãs; no 6.º dia, orar para que nos seja dada a graça de sermos instrumentos conscientes da obra de reconciliação com Deus; no 7.º dia, progredir juntos na oração e apreciar os diversos modos pelos quais os cristãos se dirigem a Deus. A meditação final convida ao compromisso de orar e procurar com todas as nossas forças a unidade e a paz que Deus quer para nós.

Escolas Católicas foram ao futebol pela “Casa dos Pobres”



No passado domingo, cerca de uma centena de utentes (e familiares) da Casa dos Pobres e mais de mil e quinhentos alunos das Escolas Católicas (EC) da cidade de Coimbra (Colégios de Cernache, Rainha Santa, S. Teotónio, S. José e Externato João XXIII), acompanhados de professores e muitos pais, foram assistir ao desafio de futebol Académica x Sporting. O resultado desta vez contentou mais os adeptos da Briosa e catalisou o entusiasmo da "mancha jovem", juntamente com as claques bem dispostas e ruidosas da "mancha negra", dando um ar de festa a este encontro.
Com esta expressiva presença no estádio Cidade de Coimbra, as EC deram mais visibilidade à campanha de solidariedade que estão a desenvolver a favor da Casa dos Pobres - uma instituição coimbrã que acolhe idosos carenciados – convivendo com os utentes e procurando angariar fundos para ajudar a equipar a casa que está prestes a ser concluída, em S. Martinho do Bispo.
Atentos a esta iniciativa, a TBZ, em parceria com a Associação Académica de Coimbra – OAF, , associou-se à campanha de solidariedade para com a Casa dos Pobres não só oferendo a possibilidade aos alunos das Escolas Católicas e aos seniores de assistirem ao desafio de futebol, como também entregando posteriormente à Casa dos Pobres uma contribuição monetária retirada da receita do jogo.
Esta campanha de solidariedade das Escolas Católicas de Coimbra, apadrinhada por Maria de Jesus Barroso e Pedro Roma, culminará com a realização do III Festival SOLNEC, em Maio, na Praça do Comércio.
A Casa dos Pobres de Coimbra – uma Instituição Particular de Solidariedade Social sem fins lucrativos - foi fundada em 8 de Maio de 1935 e acolhe cerca de 50 idosos carenciados da cidade e arredores tem as suas instalações (precárias) num edifício de três andares localizado na Praça do Comércio, nº 27. Está em curso a construção de novas instalações, orçadas em um milhão e quinhentos mil euros, com carácter definitivo, em terreno cedido pela Segurança Social, localizado na Quinta do Cedro em S. Martinho do Bispo, com a área de 12.840 metros quadrados.
Quem desejar colaborar nesta campanha de solidariedade pode entregar um donativo na sede da Casa dos Pobres, ou depositar na conta NIB da Casa dos Pobres - Caixa Geral de Depósitos: 0035025500048503932.
Esta iniciativa insere-se no projecto Vida Plena do Programa SOLNEC, visando o incremento do voluntariado dos alunos das Escolas Católicas da diocese de Coimbra junto das pessoas idosas e carenciadas.

15 de janeiro de 2008

Nova paróquia nasce na Quinta da Portela


A Câmara Municipal de Coimbra aprovou por unanimidade, na sua última reunião, a cedência de três lotes de terreno para a construção da futura igreja e centro pastoral na Quinta da Portela. A nova paróquia, a erigir pelo Bispo de Coimbra, terá como orago S. João. O prazo de constituição do direito de superfície é de 70 anos com início na data da celebração da escritura podendo ser prorrogável por períodos de 25 ano
O Eng. João Rebelo justificou ao "Correio" a necessidade deste novo local de culto com a "expansão significativa" que aquela zona da cidade tem sofrido ao longo dos últimos anos. A título de exemplo, referiu que, só a nova urbanização da Quinta da Portela vai ter 3.500 fogos de habitação.
Perante este acréscimo de pessoas e, consequentemente, de fiéis, a paróquia de S. José, a mais próxima do Vale das Flores, começava a estar sobrelotada, pelo que a construção de uma nova igreja e a criação de uma nova paróquia se impõem: "em termos de planeamento, é essa a intenção da Igreja", referiu o vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra.
A paróquia de S. José solicitou à Câmara a cedência de uma área na zona do Vale das Flores para a instalação de uma infra-estrutura religiosa, ou seja, igreja, Centro Paroquial, Capelas mortuárias e residência paroquial.
Recorde-se que D. Albino Cleto visitou na passada semana os terrenos situados na Quinta da Portela, acompanhado pelo Padre Jorge Santos, que presentemente anima o grupo promotor.


Miguel Cotrim

Uma nota da vigararia geral sobre o Jubileu de D. Albino


A Diocese de Coimbra vai celebrar o 25 º aniversário da ordenação episcopal do Senhor D. Albino no próximo dia 27 de Janeiro. É uma data que deve unir todos os cristãos na oração, louvor e acção de graças a Deus pelo dom admirável do episcopado que fez do Senhor D. Albino um sucessor dos apóstolos e pastor da Igreja.
Nestes últimos anos, a responsabilidade pastoral e o governo da nossa Diocese, confiados aos seus cuidados, mereceram-lhe o maior empenhamento e dedicação, constituindo para todos nós um insistente convite e estímulo ao compromisso com a Igreja.
Só Deus conhece inteiramente o contributo que o nosso Pastor tem dado à evangelização, animação pastoral e crescimento na fé da comunidade diocesana. Mas conhecemos o suficiente para ter sobejas razões para agradecer a Deus a sua presença e o seu trabalho apostólico.
Por isso, convido os cristãos da Diocese, particularmente os sacerdotes, pessoas consagradas, comunidades paroquiais e movimentos apostólicos, não só a dar graças a Deus pela acção realizada pelo Senhor D. Albino, mas também a participar na homenagem que a Diocese lhe vai prestar no próximo dia 27 de Janeiro.
A homenagem constará de uma sessão solene no Auditório da Reitoria da Universidade às 15 horas e de Eucaristia na Sé Nova às 17.30 horas.
Unidos na oração e reconhecimento pelo dom da ordenação episcopal do nosso Bispo e pelo seu labor apostólico na nossa Diocese, roguemos ao Senhor que lhe conceda saúde, fortaleza e graça para continuar a servir frutuosamente o Reino de Deus.

Coimbra, 15 de Janeiro de 2008
Monsenhor Manuel Leal Pedrosa
Vigário Geral da Diocese de Coimbra

Nas comemorações dos 25 anos de episcopado de D. Albino

Povo enche a Sé de Coimbra para ouvir a Oratória de Fátima


A Oratória "Fátima, sinal de esperança para a humanidade", estreada a 13 de Outubro de 2007, foi apresentada ao público no passado dia 12 de Janeiro, na Sé Nova de Coimbra perante duas mil pessoas.
Pensada inicialmente para encerrar as celebrações dos 90 anos das Aparições de Fátima, esta peça musical tem como compositor o Padre António Cartageno e director musical Mário Nascimento. O compositor afirmou ao "Correio" que "esta obra, sempre que for apresentada, é um grande momento de difusão da mensagem de Fátima e tenho esperança que as palavras e a música com que as revesti toquem realmente o coração das pessoas e as ajudem a encontrar-se com Deus".
A Oratória foi interpretada por 280 vozes, com a participação dos Coros de Leiria, Beja, Reguengos, Santo André (Santiago de Cacém), Fátima (Pequenos Cantores) e a Orquestra "Filarmonia das Beiras", sob a regência de Mário Sacramento.
Um espectáculo de 75 minutos que serviu de uma forma especial para homenagear o Bispo de Coimbra, D. Albino pelos seus 25 anos de ordenação episcopal. D. Albino Cleto, emocionado, agradeceu a todas as entidades presentes (nomeadamente ao Presidente da Câmara, Carlos Encarnação e Vereadores e Governo Civil), como à organização desta oratória não só ao compositor (Padre Cartageno) mas a todos os intervenientes, sobretudo dos coros, que a prepararam durante muitos meses...
É, sem dúvida, uma forma de evangelização e divulgação da Mensagem de Fátima à qual se deveria recorrer mais vezes, disse no fim do espectáculo o prelado da diocese
A próxima actuação decorrerá a 9 de Março, no Centro Pastoral Paulo VI, em Fátima.



Miguel Cotrim


Vila de Verride celebra Mártir S. Sebastião

No ano em que comemora o seu segundo centenário, a Associação Filarmónica União Verridense (AFUV) tomou a responsabilidade de realizar a tradicional festividade em honra de S. Sebastião. É uma parceria com o Conselho Económico da Paróquia.

Haja comissão de festas ou simplesmente organizada pela Conselho Económico da Paróquia., a festividade religiosa em louvor de S, Sebastião nunca deixa de se fazer na Vila de Verride, na data que a Igreja recorda aquele Mártir. Este ano a organização da festa é uma parceria da Associação Filarmónica União Verridense (AFUV), no ano em que comemora 200 de existência, com o Conselho Económico da Paróquia.
Assim, no próximo fim-de-semana, de 18 a 20 de Janeiro, terão lugar as festas em honra de S. Sebastião, com o objectivo de celebrar a fé e devoção que a comunidade cristã tem no Mártir. Os actos litúrgicos, essência da festividade, iniciam-se dia 18, pelas 20h30, com a tradicional Procissão das Velas seguida da Novena Grande. No sábado, pelas 14h30, será celebrada uma Missa em honra de S. Sebastião, na Capela onde é venerado, seguida de procissão até à Matriz, onde a Imagem de S. Sebastião ficará até ao dia seguinte: No dia 20, dia do Mártir, pelas 14h30, terá início a Procissão da Matriz para a Capela de S. Sebastião, onde será celebrada uma missa em honra de S. Sebastião, seguindo-se a tradicional entrega da Bandeira à nova comissão que organizará a festa de 2009.
Os verridenses também terão momentos de lazer e convívio com um programa profano. Dia 18, pelas 22h00, haverá baile, com o agrupamento TV5; no sábado, pelas 7h00, será lançada uma salva de 21 tiros e alvorada pela Banda da AFUV, seguindo-se uma arruada pelos Gaiteiros; pelas 22h00, haverá baile com o Grupo IRA; no dia 20, o dia do Mártir será anunciado por uma salva de 21 tiros, pelas 8h00, e arruada pelos gaiteiros; pelas 17h30 terá início um baile com o conjunto Musical Band, encerrando-se os festejos. De realçar que a organização destes festejos tem em funcionamento uma quermesse e um serviço de Bar.


Aldo Aveiro