Correio de Coimbra

Jornal informativo da Diocese de Coimbra. Assine e divulgue o nosso semanário. 239 718 167. fax: 239 701 798. correiodecoimbra@mail.telepac.pt

A minha fotografia
Nome:
Localização: Coimbra, Portugal

16 de setembro de 2008

Casa do Gaiato de Miranda: acusações que “não são verdade”


Um grupo de cidadãos enviou uma carta ao Bispo de Coimbra denunciando maus-tratos psicológicos às crianças da Casa do Gaiato, alegadamente infligidos pelo responsável da instituição, situação que o prelado negou.
O caso foi noticiado no passado dia 10 de Setembro pelo jornal "Diário as Beiras", que refere que os subscritores da carta acusam o responsável local da instituição de "atitudes anti-pedagógicas, maus-tratos psicológicos e de mau relacionamento com entidades locais", pedindo o seu afastamento "o mais rápido possível".
Aquele jornal refere que um grupo de subscritores, identificados como encarregados de educação, amigos, dirigentes e empresários desportivos, enviou uma carta ao Bispo D. Albino Cleto, queixando-se da actuação do Padre Manuel Mendes, responsável pelas casas do Gaiato de Coimbra e de Miranda do Corvo.
Em declarações à agência Lusa, o Bispo de Coimbra, D. Albino Cleto, negou qualquer ingerência na Casa do Gaiato, "obra de rua" do padre Américo, criada em 1940, e rejeitou as acusações que pendem sobre o sacerdote.
"Não são verdade as acusações que lhe fazem. Ele tem um temperamento directo e rijo, não é igual a outros padres que eram mais paternalistas", afirmou o prelado, sublinhando que o sacerdote exerce o cargo com "grande sacrifício".
"Ele [Manuel Mendes] está ali a fazer um sacrifício horrível, porque não havia nenhum outro padre da obra da rua que pudesse gerir aquela casa. O que lhe estava reservado era tomar conta do Calvário, casa para doentes terminais que funciona junto da Casa de Paço de Sousa", referiu o bispo da Diocese de Coimbra.
Segundo adiantou à Lusa, as acusações ao responsável das casas de Coimbra e Miranda do Corvo terá começado no início do Verão por causa de "dois rapazes muito habilidosos para o futebol", que estariam a ser "aliciados" pelo União de Coimbra e a Académica.
O Padre Manuel Mendes, de acordo com o "Diário as Beiras", terá proibido os jovens, um de 16 anos e outro de 18, de jogar futebol. Neste momento, o mais novo joga na Académica e está instalado na Academia Dolce Vita, até começo das aulas, enquanto o outro treina no União de Coimbra.
O Bispo de Coimbra salienta que ao maior de idade foi dada liberdade para decidir o seu futuro e que em relação ao mais novo a prioridade é que complete o 9.º ano, estando prevista a sua transferência para o colégio diocesano para que possa estudar e estar mais próximo do futebol.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial