Correio de Coimbra

Jornal informativo da Diocese de Coimbra. Assine e divulgue o nosso semanário. 239 718 167. fax: 239 701 798. correiodecoimbra@mail.telepac.pt

A minha fotografia
Nome:
Localização: Coimbra, Portugal

17 de março de 2009

E tu? Já fizeste uma pergunta hoje?



Deus ouve-nos sempre? O que há para além da morte? Se Deus é invisível como nos podemos encontrar com Ele? Será que estas perguntas têm resposta? Estas foram algumas das muitas perguntas que ousámos colocar e ousámos tentar responder e compreender num fim-de-semana especial em Foz de Arouce nos dias 6, 7 e 8 de Março.
Foi de facto um fim-de-semana especial pelo encontro com as dúvidas da nossa fé, com os outros, com o cantar dos pássaros e com Deus que é Amor. Foram nestes dias, tão pequenos mas tão enriquecedores, que aprendemos que Deus não tem o nosso tamanho, que há falsas imagens de Deus (há o Deus das necessidades em que só recorremos a Ele quando precisamos, o Deus juiz em que Ele nos castiga, o Deus Comerciante cuja relação é como se de um negócio se tratasse, o Deus Pai-Natal que basta pedir e Ele dá…), que Deus só pode o que o Amor pode, que a morte não acaba com a vida, que o Céu é estar com Deus, que a Bíblia é fabulosa pelos poéticos e sentidos textos.
Os ensinamentos foram muitos, as concepções mentais às perguntas que trazíamos começaram a ser mais claras, mais delineadas e afinadas e o encontro com Deus e com o mais intrínseco de cada um de nós foi essencial para compreender o que nos move. Foram os momentos de oração que nos fizeram crer que o Amor é a inspiração de Deus, que há que descalçar as sandálias para sentir o caminho tal e qual ele nos é dado, que umas vezes somos pedra e outras "esponjas do mar", que tal como Moisés escondemos o rosto com medo de olhar para Deus, que o nosso caminho só faz sentido se o fizermos acompanhados de outros e do Pai.
Os laços que se criaram no grupo também foram relevantes, porque fomos naqueles dias uma pequena família que pouco a pouco se foi conhecendo e revelando. Nada como o tempo para fortalecer esses laços nas muitas actividades e convívios que todos esperamos participar.
O texto já vai longo e eu continuo coma certeza que novas perguntas surgirão, que novas respostas serão procuradas e que eu irei crescer com tudo o que tenho aprendido e que aprenderei. Resta-me dizer que sem perguntas a vida não faz sentido e sem respostas, mais ou menos argumentadas, o sonho de existir com Deus não se realiza…
Nós ousámos perguntar. E tu? Já fizeste uma pergunta hoje?..

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial