Correio de Coimbra

Jornal informativo da Diocese de Coimbra. Assine e divulgue o nosso semanário. 239 718 167. fax: 239 701 798. correiodecoimbra@mail.telepac.pt

A minha fotografia
Nome:
Localização: Coimbra, Portugal

3 de fevereiro de 2009

Tentúgal: Misericórdia pretende construir lar para a terceira idade



"Ser provedor não é somente uma responsabilidade de gestão administrativa e financeira, mas principalmente uma constante preocupação na prestação de um serviço solidário, um compromisso social que, nos dias de hoje, urge acautelar". Palavras de Maria Clara Oliveira, nova provedora da Santa Casa da Misericórdia de Tentúgal, na cerimónia de tomada de posse dos corpos sociais da instituição para o triénio 2009/2011, realizada no dia 1 de Fevereiro. "Vamos trabalhar com transparência, dedicação, disponibilidade, competência em prol da instituição, dos irmãos e dos utentes", referiu a provedora, sustentando que "é importante e necessário dar continuidade ao primeiro compromisso promovido pela Rainha D. Leonor, porque o cumprimento das catorze "obras de misericórdia" sempre se compatibilizou com as dificuldades dos tempos contemporâneos".
"A construção de um novo lar e valorizar e preservar o património existente, melhorar a eficácia e qualidade dos serviços prestados nas três valências, promovendo actividades recreativas e culturais que envolvam os utentes e atraindo ao seu convívio a sociedade e promover acções de formação profissional, visando uma melhoria nos serviços prestados" constituem, segundo Maria Clara Oliveira, os primordiais objectivos para a dinâmica das valências da instituição.
Referindo-se à construção da nova estrutura social, a provedora realçou que "acima de tudo está o bem-estar dos utentes", aludindo que "o lema da instituição traduz-se na solidariedade humana, amor ao próximo e proporcionar calor humano".
Clara Oliveira explicou que "o projecto para a construção de um novo lar em Tentúgal está em curso, embora a Santa Casa da Misericórdia de Tentúgal não disponha da verba necessária para concretizar a obra", sustentando que "se o projecto for alvo de alguma candidatura, nós vamos aproveitar". "Se não for possível o seu enquadramento nos investimentos comunitários, o lar será auto-financiado através de um empréstimo bancário", acrescentou.


Aldo Aveiro

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial